Cotidiano
18/04/2017
Por PAULO PINTO/BUDOPRESS | Fotos MCS
Salvador - BA

O Tour Judô Cielo Nordeste chegou ao fim depois de passar por 13 cidades do Nordeste: Teresina (PI), Juazeiro (BA), Campina Grande (PB), São Luís (MA), Aracaju (SE), Recife (PE), João Pessoa (PB), Salvador (BA), Natal (RN), Fortaleza (CE), Caruaru (PE), Caicó (RN) e Maceió (AL).

Após seis meses de trabalho, mais de 7 mil quilômetros percorridos e com os relatórios consolidados, os números realmente impressionam. Quase 83 mil pessoas tiveram a oportunidade de conhecer ou dar os primeiros passos na modalidade, seja praticando nas escolas ou na arena ou apenas se informando um pouco sobre o esporte que é também uma filosofia de vida.

Nas 13 cidades foram ministradas clínicas para 57.426 crianças em 262 instituições de ensino ou projetos sociais. Outras 24.918 pessoas passaram pela Arena do Judô, uma grande estrutura montada em locais de fácil acesso para a população. O total entre as clínicas e arena chega a 82.344 pessoas.

O Tour Judô Cielo Nordeste realizou-se de outubro de 2016 a abril de 2017, envolvendo 185 colaboradores. Proporcionou 68 matérias ao vivo na TV, sendo mais da metade gravadas em estúdio, e contou com nove montagens em shopping centers com público passante médio de 16 mil pessoas/dia.

As ações do tour realizam-se durante uma semana em cada município, divididas em duas partes. A primeira consiste em levar clínicas da modalidade para as escolas do ensino fundamental e projetos sociais das cidades.

A segunda é a Arena do Judô, que, com aproximadamente 200 metros quadrados, contou neste ano com um dojô e um museu interativo com totens que contavam a história do esporte idealizado por Jigoro Kano. Kimonos e faixas foram disponibilizados de forma gratuita para aqueles que tiveram interesse em experimentar a prática do judô, sempre com a supervisão de um professor. O espaço ficou aberto à população em locais públicos durante dois dias com acesso gratuito.

As atividades contaram com o apoio das federações de judô de cada Estado. Em contrapartida, essas entidades puderam indicar três atletas das categorias de base para assistir à seleção brasileira de judô num dos SuperDesafios organizados pela CBJ.

Rodrigo Aguiar, gerente do projeto, destacou que a ação bateu todas as metas traçadas e comprovou que o esporte oferece possibilidades infinitas. “Com a intenção de realizar uma mobilização social e massificação do judô, o projeto, no primeiro momento, contou com ações dentro de escolas públicas de 13 cidades para disseminar o judô por meio de seus valores e de sua prática. A equipe do projeto Tour Judô Cielo ministrou palestras educacionais e apresentou técnicas do esporte nos tatamis montados em cada escola visitada. Pelos olhares atentos e curiosos estampados no rosto dos alunos observou-se que é possível mudar realidades e apresentar novas possibilidades por meio do esporte.”

A arena do Tour Judô introduziu milhares de pessoas no cenário judoísta. “Já no segundo momento, com o objetivo de despertar o interesse da população para o judô e aproximar sonhos da realidade, foi montada uma arena para a prática e experimentação do judô em cada cidade. A arena do Tour Judô Cielo ofereceu um dojô de alta qualidade para treino do esporte, professores graduados e kimonos para aqueles que nunca tiveram condições ou chance de vestir a armadura de um judoca. O espaço tornou-se um lugar de aprendizado, treino e descoberta de novas habilidades”, disse Aguiar.

Na avaliação do gerente do projeto, a experiência inédita deverá trazer novos praticantes para os tatamis. “Ao longo das cidades contempladas, foi possível perceber uma grande adesão e apoio tanto por parte dos órgãos municipais e estaduais, que acolheram a proposta, quanto pelas 82.344 pessoas beneficiadas que conheceram e experimentaram de forma inovadora e original a prática do esporte que mais conquistou medalhas olímpicas para o Brasil.”

Dirigentes exaltam arrojo do Tour Judô Cielo

Sílvio Acácio Borges, presidente da CBJ, destacou a amplitude do projeto. “A abrangência desta ação no território nacional e os números atingidos no Tour Judô Cielo Nordeste revelam a importância desta iniciativa. O grande legado desta ação é o foco e o investimento proporcionados ao judô de base e à iniciação propriamente dita. Entendo que nenhum projeto anterior alcançou tamanha abrangência e nesta ação vemos a resposta para aqueles que apontavam excesso de atenção ao alto rendimento, em detrimento da base. Uma das principais virtudes de meu antecessor foi justamente o olhar cuidadoso para todos os segmentos da modalidade, passando pela arbitragem, base e alto rendimento.”

Jaciano Delmiro, presidente da Federação Pernambucana de Judô, avaliou a passagem do Tour Judô Cielo pelos rincões nordestinos. “A importância desse evento para nossa modalidade evidencia-se principalmente nas visitas às escolas em comunidades carentes nas capitais e nos municípios do interior. A partir do contato do grupo de professores de judô com as crianças surge o interesse pela prática e o talento é revelado”, disse o dirigente, que revelou pontos fundamentais da iniciativa. “O grande legado deste projeto é a interação com diversas autoridades da educação e do esporte dos governos municipais e estaduais, deixando plantada a ideia de novos eventos do judô na região visitada. A criatividade, o planejamento e o profissionalismo são os pilares desse grande evento incentivador do nosso esporte”, destacou Delmiro.

Danys Queiroz, vice-presidente da CBJ, lembrou que o tour é uma ação diferenciada. “O Tour Cielo possui um enfoque totalmente diferente do que fazemos normalmente. Levamos judô para quem faz judô. As competições são feitas para as pessoas que já estão inseridas na modalidade. O tour levou o judô para um público que não conhece nosso esporte, e este é o grande diferencial de uma iniciativa que fomentou a massificação do judô em nove Estados do Nordeste. Se a prática do judô aumentar, seguramente surgirão novos talentos e um exemplo disso é a Sarah Menezes. Se o judô não tivesse chegado até ela em Teresina (PI), o desporto brasileiro não teria o ouro olímpico conquistado por ela em 2012, em Londres. O Tour Cielo levou o judô a escolas das periferias e dos grandes centros, proporcionando sua prática a mais de 80 mil crianças, e socialmente falando esta ação possui um valor incomensurável.”

Para Durval Américo Machado, presidente da Federação Sergipana de Judô, todas as metas traçadas foram superadas. “Em Sergipe, o Tour Judô Cielo teve uma agenda muito positiva, pois contou com o apoio da Federação Sergipana de Judô, das secretarias de Educação e de Infraestrutura, vereadores, deputados estaduais e da superintendência do SESI. Nas manhãs passávamos nas escolas e no período da tarde fizemos oficinas nos centros de cultura e arte. Nos fins de tarde estávamos na praça de eventos na Orla de Atalaia, que é um dos locais mais movimentados da capital, e obtivemos grande exposição da modalidade. Superamos todas as expectativas e estamos certos de que atraímos centenas de jovens para a prática do judô”, comemorou o dirigente.

Tibério Maribondo Nascimento destacou o retorno midiático da passagem do tour no Rio Grande do Norte. “O Tour Judô Cielo foi um projeto vitorioso e por meio dele o judô obteve enorme visibilidade em todo o Nordeste. No Rio Grande do Norte passou por Caicó, uma cidade polo na Região do Seridó, onde tivemos presença importante na mídia local e contamos com a presença do prefeito, vereadores e secretários municipais. O judô de Caicó já possuía excelente avaliação na cidade, e após este evento o número de praticantes aumentou significativamente. Em Natal levamos o evento para um shopping e o retorno midiático foi bastante positivo. Atingimos as escolas públicas da periferia, de onde surgem talentos e os resultados aparecem, mas avaliamos que o mais importante são os benefícios sociais. Temos certeza de que o público gostou muito do que viu, e o resultado como um todo foi extremamente positivo.”

O dirigente potiguar finalizou lembrando que o tour deixou grandes frutos para a modalidade. “O fomento da prática esportiva em qualquer dimensão sempre é algo extremamente positivo. O judô, por ser um esporte de luta com tradição cultural e educacional bem consolidada na sociedade brasileira, cada vez mais tem alcançado todas as classes sociais, desde as mais humildes às mais favorecidas. Tenho certeza de que este projeto vai produzir frutos e certamente o judô será o grande vitorioso”, concluiu Nascimento.

O Tour Judô, uma parceria da CBJ com as federações estaduais, é patrocinado pela Cielo, uma das maiores apoiadoras do judô nacional. Guardando as devidas proporções, esta ação inédita no Brasil lembra a iniciativa da Federação Francesa de Judô, que há décadas teve o desprendimento de levar o judô para as escolas do ensino fundamental. Além de mostrar caminhos e soluções, ações criativas e ousadas como o Tour Judô Cielo são revestidas de forte apelo social e este é o grande legado de um projeto que deverá ser copiado e replicado por várias modalidades. 

Números de cada cidade

Juazeiro - BA

Instituições atendidas: 20

Clínicas: 6.808 alunos de 18 escolas e dois projetos sociais

Arena: 765 visitantes

Total de atendimentos: 7.573 pessoas

Teresina - PI

Instituições atendidas: 20

Clínicas: 4.728 alunos de 20 escolas

Arena: 1.308 visitantes

Total de atendimentos: 6.036 pessoas

São Luís - MA

Instituições atendidas: 19

Clínicas: 4.835 alunos de 19 escolas

Arena: 1.950 visitantes

Total de atendimentos: 6.785 pessoas

Fortaleza - CE

Instituições atendidas: 19

Clínicas: 5.710 alunos de 19 escolas

Arena: 950 visitantes

Total de atendimentos: 6.660 pessoas

Caicó - RN

Instituições atendidas: 17

Clínicas: 1.554 alunos de 17 escolas

Arena: 1.175 visitantes

Total de atendimentos: 2.729 pessoas

Salvador - BA

Instituições atendidas: 29

Clínicas: 3.365 alunos de 29 escolas

Arena: 1.272 visitantes

Total de atendimentos: 4.637 pessoas

Aracaju - SE 

Instituições atendidas: 19

Clínicas: 2.810 alunos de 19 escolas

Arena: 1.732 visitantes

Total de atendimentos: 4.542 pessoas

Maceió - AL 

Instituições atendidas: 18

Clínicas: 4.193 alunos de 18 escolas

Arena: 1.928 visitantes

Total de atendimentos: 6.121 pessoas

Natal - RN

Instituições atendidas: 20

Clínicas: 3.960 alunos de 20 escolas

Arena: 1.032 visitantes

Total de atendimentos: 4.992 pessoas

Campina Grande - PB

Instituições atendidas: 20

Clínicas: 3.319 alunos de 20 escolas

Arena: 2.314 visitantes

Total de atendimentos: 5.633 pessoas

João Pessoa - PB 

Instituições atendidas: 19

Clínicas: 3.890 alunos de 19 escolas

Arena: 2.950 visitantes

Total de atendimentos: 6.840 pessoas

Caruaru - PE

Instituições atendidas: 23

Clínicas: 8.191 alunos de 23 escolas

Arena: 4.646 visitantes

Total de atendimentos: 12.837 pessoas

Recife - PE

Instituições atendidas: 19

Clínicas: 4.063 alunos de 19 escolas

Arena: 2.896 visitantes

Total de atendimentos: 6.959 pessoas

Ao todo, 262 instituições de ensino foram atendidas pelo Tour Judô Cielo

O Tour Cielo levou alegria e gerou muita expectativa na criançada

Ação inédita colocou o judô em pontos estratégicos das principais cidades do Nordeste

Além da prática e da técnica, os jovens conheceram princípios éticos da modalidade

O Tour Cielo Nordeste envolveu 185 colaboradores

O projeto levou judô aos jovens e inseriu muitos praticantes na prática esportiva

A garotada vibrou com a técnica apresentada por professores e alunos graduados

Cerca de 25 mil pessoas passaram pela Arena do Judô, estrutura montada em locais de fácil acesso para a população

O judô foi apresentado oficialmente para milhares de jovens do Nordeste

Houve grande participação da garotada e parecia até que o Brasil é o País do judô, e não da bola