Cotidiano
14/04/2017
Fonte FABIAN LEMOS e GUILHERME GARCIA/AC ALESC | Fotos MIRIAM ZOMER/AGÊNCIA AL e PAULO PINTO/CBJ
Florianópolis - SC

O deputado Natalino Lázare

O judô catarinense foi destacado pelo deputado Natalino Lázare (PR) durante a sessão desta terça-feira (11), na Assembleia Legislativa de Santa Catarina. O parlamentar registrou, da tribuna, a audiência de importantes personalidades do esporte brasileiro em seu gabinete, onde estiveram o novo presidente da Federação Catarinense de Judô, o videirense Moisés Penso, acompanhado pelo presidente do Conselho Fiscal, Nelson Wolter, e o presidente da Confederação Brasileira de Judô, o joinvilense Silvio Acácio Borges.

“Moisés Penso é filho de um grande amigo meu, o Camilo Penso, que foi fundador e ex-presidente da Federação Catarinense de Judô. Camilo é um profissional da mais alta qualidade no desempenho das suas atividades profissionais, além da imensa paixão pelo esporte, exemplo seguido pelo seu filho”, ressalta o deputado.

No encontro, falaram sobre a importância do esporte em Santa Catarina, apresentaram o desempenho dos catarinenses no Campeonato Brasileiro Regional de Judô e destacaram a necessidade de criar um ambiente mais favorável para fomentar a modalidade no Estado.

A competição, realizada no último fim de semana em Caxias do Sul, reuniu também representantes de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

Santa Catarina participou com quase 100 atletas, divididos em todas as categorias disputadas. Os catarinenses ficaram em quarto lugar, conquistando 26 medalhas no total.

“É um esporte que merece atenção e apoio. Temos um trabalho muito bom sendo realizado em Santa Catarina, no qual profissionais e atletas se destacam todos os anos no cenário nacional. Porém, é preciso criar um ambiente com mais incentivos e melhores condições para todos”, afirma Natalino.

Judô em Santa Catarina

O precursor do Judô em Santa Catarina foi o professor Kenzo Minami, nascido no Japão, mas naturalizado brasileiro. Fundou o Judô no estado, no dia 5 de maio de 1962, na cidade de Joinville, na Sociedade Ginástica de Joinville.

Três anos depois, chegou a vez de Itajaí. Já em 1966 o judô é introduzido em Videira e Florianópolis. Em 1968 demais cidades do Oeste já eram adeptos desta arte marcial: Caçador, Joaçaba, Concórdia, Xanxerê, Chapecó e São Miguel D’Oeste.

Em 1971 a modalidade teve sua primeira participação nos Jogos Abertos de Santa Catarina, ainda em um formato experimental. Em 1973, com a criação da Federação Catarinense de Judô, a modalidade passou a ser disseminada em todo território catarinense integrando o calendário das principais competições até hoje, como os Joguinhos, Olesc e jogos escolares, nos quais a federação catarinense é parte atuante na coordenação e realização em um estreito acordo de parceria com a Fesporte.

Ao longo da história, o judô passou por inúmeras dificuldades de cunho financeiro e administrativo, porém jamais deixou de ter como foco o desenvolvimento técnico em uma constante batalha em se fazer presente entre as federações de destaque deste país.

As conquistas são resultantes de um trabalho incansável de diversos colaboradores, em especial os professores e atletas que tão bem souberam fazer esta bela história.

Sílvio Acácio Borges e Moisés Penso