Seleção Brasileira De Judô
04/05/2017
Por LIANNA ANTUNES/ESPNW | Fotos MIROSLAV PETRIK/EJU, BUDOPRESS e LARA MONSORES/CBJ
São Paulo - SP

Com potente seoi-nage, Samanta Soares vence por ippon no European Open de Praga, na República Tcheca

O bom desempenho da judoca Samanta Soares, nos tatames este ano vem chamando atenção. Dos quatro torneios internacionais que participou neste ano, na categoria meio-pesado (até 78 kg), ela foi medalha de ouro em três: no Aberto Europeu de Praga, na República Tcheca, no Aberto Pan-Americano de Lima, no Peru – ambos em março – e no recente Campeonato Pan-Americano por equipes, que aconteceu no último fim de semana.

“Tivemos um treinamento com a seleção em Pindamonhangaba e acredito que ele fez grande diferença, ajudou bastante no preparatório final para o Pan no Panamá”, conta Samanta, que completa 24 anos em junho e começou no judô aos oito, no colégio. “Eu fazia natação e tive que parar por conta dos horários da escola (…) acabei entrando no judô para experimentar e fui ficando”, relembra.

Campeã da seletiva olímpica, na semifinal Samanta encaixa um sankaku-jime para imobilizar Isabel Sanches

Sua inspiração no esporte é a norte-americana bicampeã olímpica Kayla Harrison, por quem Samanta tem grande admiração por sua força, inteligência e técnica. “É uma atleta completa”, elogia.

Fora do judô, Samanta afirma se espelhar na eterna rainha do Basquete Hortência, por “jogar com raça”, e na ginasta Nádia Comaneci – a quem costuma definir em poucas palavras como “mulher e ginasta em tempos difíceis”.

Samanta já carrega na bagagem não apenas medalhas e troféus, mas também boas colocações em campeonatos e uma vaga na seleção brasileira. E diz que não vai parar e sim treinar forte para realizar o sonho de chegar aos Jogos Olímpicos. “Tudo o que puder fazer para isso, irei fazer”, finaliza Samanta.

No Pan-Americano realizado no Panamá, a judoca que do Esporte Clube Pinheiros exibe o ouro inédito no sênior